6 mitos e verdades sobre o Bruxismo

3 minutos para ler

Ranger os dentes durante o sono é um hábito nada fácil de ser resolvido e que afeta muitas pessoas. Conhecido como Bruxismo, o problema pode atingir qualquer um, independente de idade. Se você ou alguém próximo sofre com o Bruxismo, o post de hoje é para você! A seguir, vamos esclarecer as principais dúvidas sobre o distúrbio. Continue a leitura!

O que é o Bruxismo?

O Bruxismo é a movimentação involuntária dos músculos da mandíbula, seja rangendo os dentes ou apenas apertando-os com muita força. Dessa forma, o indivíduo não percebe o ato, já que ele costuma acontecer durante o sono.

A atividade repetitiva da musculatura é uma resposta psicofisiológica, sem objetivos funcionais. O movimento de apertar ou deslizar os dentes pode causar alguns problemas, como:

● Dores de cabeça, nos dentes e na região do pescoço;
● Dores ou zunidos nos ouvidos;
● Perda do sono e, consequentemente, sonolência diurna;
● Tensão e vertigem;
● Desgastes e rachaduras dentárias.

Quais são as causas do problema?

As causas do Bruxismo estão relacionadas ao estresse e à fadiga, tanto emocional quanto física. Assim, o distúrbio pode piorar em pessoas com problemas psicológicos, especialmente naquelas com uma rotina mais exaustivas.

Além desses motivos, o Bruxismo pode acontecer devido a um procedimento odontológico mal finalizado, ou seja, quando o paciente obteve um posicionamento inadequado dos dentes. Isso faz com que a parte superior e a inferior não se encaixem direito e, assim, a mandíbula fica em busca de uma posição mais confortável.

O Bruxismo pode ocorrer durante o dia?

Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, essa atividade involuntária pode sim acontecer enquanto a pessoa está acordada. Nesse caso, o afetado passa a contrair ainda mais a musculatura, agravando os sintomas e o risco de quebrar os dentes.

Quais são os sintomas e como é o diagnóstico?

Além dos sintomas citados acima, em alguns casos mais graves, o paciente também pode apresentar outros transtornos. A dor na região pode se acentuar, causando inflamação no local e dificultando a abertura da boca. Consequentemente, isso traz problemas durante a alimentação, pois a mastigação é afetada.

Um simples exame realizado na arcada dentária por um dentista pode diagnosticar o distúrbio. Em casos mais graves, também é possível examinar o paciente enquanto ele dorme, através de um procedimento chamado de polissonografia.

Como é feito o tratamento?

O tratamento mais utilizado para o Bruxismo é o uso de placas estabilizadoras e, em casos de dores muito intensas, de relaxantes musculares. Porém, se há causas emocionais envolvidas, a terapia pode ser uma forte arma contra a disfunção.

Como ocorre o avanço do distúrbio?

Apesar de existirem tratamentos, há aquelas pessoas que não procuram a ajuda de um profissional. Nesse caso, o Bruxismo pode resultar em enrijecimento da nuca, cefaleias e dores nas costas. As fraturas dentárias também podem se agravar, provocando lesões na articulação, desgastando os dentes e causando luxação e deslocamento mandibular.

Quanto mais rápida for a procura de uma solução, menores são os riscos de intensificar o Bruxismo. Você ou alguém próximo sofre ou já sofreu com esse distúrbio? Você tem outras dicas, sugestões ou experiências relacionadas para dividir com a gente? Então, deixe seu comentário e entre para a conversa!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Posts relacionados

7 thoughts on “6 mitos e verdades sobre o Bruxismo

  1. Eu tenho esse hábito de “trancar” os dentes o tempo todo, acordada ou dormindo. Só percebo quando a dor fica forte. As vezes acordo no meio da noite sentindo dor na mandíbula. Mesmo durante o dia, no trabalho é sempre assim e de algum tempo para cá comecei a ouvir zumbido na cabeça, mas o dentista que procurei disse que não tenho bruxismo.

Deixe um comentário