A maioria das pessoas sabe que ter a saúde bucal em dia é fundamental para a qualidade de vida. Para isso, é preciso ter bons hábitos desde a infância. Tendo isso em vista, você sabe quando levar o bebê ao dentista?

Uma das maiores preocupações dos pais é entender o momento certo de encaminhar o filho ao profissional. As dúvidas são muitas: antes ou depois do primeiro dente? Como será a consulta? Por que levar a criança tão nova? Bom, para ajudar você a entender essas e outras questões, trouxemos este post. Então, se quiser saber, continue a leitura e confira!

É verdade que a primeira consulta deve ser feita ainda na gravidez?

Sim, isso é verdade. Pode parecer estranho, mas a primeira consulta do bebê deve ser ainda na barriga da mãe. Quando nos preparamos, tudo é mais tranquilo, não é verdade?

Por isso, os pais devem se informar sobre como cuidar da saúde bucal do bebê desde antes do nascimento. Até porque, após o parto, a vida fica um pouco mais corrida e pode ser difícil ter esse tipo de consulta.

Os cuidados com a higiene bucal devem ser feitos desde o primeiro dia de vida. Embora o recém-nascido não tenha dentes (salvo em casos raros), é preciso limpar as gengivas e a língua para prevenir qualquer tipo de problemas futuros, como as cáries de mamadeira.

Além disso, já acostuma a criança a ter bons hábitos bucais desde muito cedo. Tendo a boca manipulada ainda novinho fica mais fácil na hora que, de fato, surgir a dentição. Assim, os pais conseguirão escovar os dentinhos sem que o bebê estranhe e se zangue.

Outro ponto importante é que o dentista pode ensinar como aliviar os sintomas do aparecimento dos dentes. Com as gengivas inchadas e coçando, os bebês ficam mais irritados e o profissional pode orientar sobre o que fazer para ajudar os pequenos nessa fase.

Com quanto tempo devo levar o bebê ao dentista?

Durante a gravidez, todas as informações de como cuidar da boquinha do recém-nascido já foram repassadas pelo profissional. Mas e agora, quando levar o bebê ao dentista pela primeira vez? Assim que nascerem os primeiros dentinhos.

Isso acontece por volta dos 6 meses, porém, depende de cada criança. Alguns pequenos têm a erupção com 3 meses, já outros com quase 1 aninho. O ideal é ficar de olho nas gengivas e prestar atenção nos sinais que os bebês apresentam, como:

  • agitação e irritabilidade;
  • salivação excessiva;
  • gengivas inchadas e doloridas;
  • mastigar os objetos;
  • dificuldade em comer;
  • falta de apetite;
  • dificuldade para dormir.

A febre e a diarreia também podem aparecer. Para isso, faça a medicação prescrita pelo pediatra. Já para os incômodos das gengivas, os mordedores próprios são ótimos, inclusive os que vão à geladeira para ficarem geladinhos e aliviar ainda mais o desconforto.

O que acontece na visita do bebê ao dentista?

Muita gente se pergunta o que acontece na visita do bebê ao dentista. Afinal, o pequeno não apresenta nenhum problema bucal ou, pelo menos, não deveria ter. Contudo, essa ideia de procurar profissional apenas quando tem alguma alteração é errada.

A principal intenção da consulta é ensinar os pais como lidar com a dentição do bebê e conscientizar da importância da profilaxia bucal. Ou seja, do conceito de que prevenir é melhor que remediar. Muitas vezes, os responsáveis não sabem sobre problemas bucais e outras questões podem surgir durante a infância, como:

  • uso da chupeta: é prejudicial mesmo? Se já usa, com quantos meses se deve interromper? Qual é a melhor maneira de fazer isso?
  • Escovação dos dentes: como deve ser a escova? Qual é a frequência da escovação? Como deve ser a limpeza da língua?
  • Chupar o dedo: quais são as consequências? Como acabar com esse hábito?
  • Alimentação infantil: quais alimentos devemos evitar por conta das cáries?
  • Problemas bucais: o que é normal ou não na boca do bebê?

Todas essas dúvidas são esclarecidas na consulta do bebê ao dentista. Aliás, é interessante anotar essas e outras que você tenha para conversar com o profissional sobre elas.

Qual é a frequência de consulta do bebê com o dentista?

“Já sei como cuidar da saúde bucal do bebê, preciso levá-lo ao dentista apenas quando perceber alguma alteração?” Não! Assim como as outras fases da vida, os bebês devem ser levados ao profissional de 6 em 6 meses.

Pode parecer chocante, mas existem crianças com menos de 2 anos que já apresentam cáries e precisam fazer tratamento de canal. Isso poderia ser evitado se houvesse consultas frequentes ao dentista, pois o profissional consegue detectar esse tipo de problema ainda em estágio inicial.

Outro bom motivo para levar a criança com regularidade ao consultório odontológico é reduzir o medo do dentista. Quantas pessoas você conhece que postergam a visita ao profissional por receio ou, até mesmo, pânico? Quanto mais cedo o indivíduo mantém esse hábito, menos chance de desenvolver qualquer desconforto com a visita ao dentista.

Qual é o melhor profissional para levar o bebê?

Sem dúvidas, o odontopediatra é o profissional mais indicado. Isso porque a especialidade estuda as particularidades da dentição infantil, como estrutura e rotina de cuidados.

Além do mais, o especialista sabe como lidar com esse público, já que tem uma maior afinidade. Também, ele já está acostumado, devido à sua experiência em tratar, conversar e convencer os bebês e as crianças a fazerem os procedimentos. Afinal, é preciso ter paciência e jeito com os pequenos. Tudo isso é diferencial no atendimento, que outra especialidade pode não ter.

Quando levar o bebê ao dentista é uma das maiores questões dos pais em relação à saúde bucal dos filhos. A verdade é que quanto mais cedo melhor. A busca pelas informações começam ainda na gravidez, passando pelos cuidados com o recém-nascido até o surgimento dos primeiros dentinhos.

Gostou do nosso post? Ele ajudou você? Conhece alguma gestante ou pais que você acha que precisam ler este post? Então, compartilhe-o nas suas redes sociais e leve essas informações a eles. Que tal?