Uma das maiores inseguranças de quem precisa fazer um tratamento odontológico é o momento da aplicação da anestesia bucal. Isso acontece principalmente porque uma grande parte das pessoas se sente insegura por causa do uso de agulhas em tratamentos de saúde.

No entanto, a anestesia é necessária em diversos casos para que o procedimento seja mais confortável e seguro para o paciente. Por isso, é muito importante conhecer detalhes dessa técnica para entender o que é mito e verdade e sentir-se mais seguro se for necessário utilizá-la.

Neste artigo nós listamos alguns desses mitos e verdades para que você saiba ao certo como a anestesia bucal funciona. Desse modo, poderá esclarecer algumas dúvidas e aprender mais sobre essa técnica tão importante para que se sinta confiante ao realizar seus tratamentos odontológicos. Acompanhe!

Sobre a anestesia bucal

A anestesia bucal é o procedimento realizado quando existe a necessidade de interromper temporariamente a sensibilidade de uma determinada região. Para isso são utilizadas fórmulas que bloqueiam os estímulos nervosos, assim, acontece uma perda da sensibilidade enquanto o medicamento está atuando.

Essa interrupção acontece porque a anestesia bloqueia os canais de sódio e não deixa que a dor se propague. Esse efeito ocorre em função da composição do fármaco, que varia de acordo com o tipo dele. É mais comum que seja composto por um sal com propriedades anestésicas e um agente vasoconstritor.

Essa segunda substância reduz o diâmetro dos vasos sanguíneos para que o anestésico seja absorvido pelos tecidos lentamente, assim o seu efeito é mais prolongado. Como existem alguns medicamentos que não têm a substância vasoconstritora, então a tendência é que a sua duração seja menor.

Os anestésicos são fundamentais para vários procedimentos odontológicos, mas não são todos eles que necessitam dessa aplicação. Isso é definido de acordo com cada caso e sua gravidade, observando se existe a possibilidade de o paciente sentir dor ou não.

Mitos e verdades da anestesia bucal

É muito comum que pacientes de todas as faixas etárias tenham um pouco de receio quando se trata de anestesia bucal. Isso porque ela é aplicada com o uso de agulha e esse instrumento está associado com dores e desconfortos, o que deixa o paciente inseguro e ansioso.

Além disso, muitas histórias são contadas, mas nem tudo o que se diz é verdade. O que acontece, então, é um misto da insegurança que o paciente já tem com informações equivocadas, e isso faz com que ele fique ainda mais desconfiado do procedimento.

Mas como dito, a anestesia bucal é essencial para evitar que a pessoa sinta dores e desconfortos durante o tratamento odontológico. Então, o ideal é adquirir o máximo de conhecimento sobre essa substância e sua atuação, esclarecendo os mitos e as verdades para entender de fato como ela atua no organismo para perder o medo.

A seguir, listamos algumas afirmações e as explicações para elas com o intuito de que você saiba o que procede ou não sobre a anestesia bucal. Acompanhe.

A anestesia bucal causa choque anafilático

Verdade, porém em casos muito raros e incomuns. Um choque anafilático, ou anafilaxia, é uma reação alérgica muito grave que acontece de forma rápida, causando a queda da pressão sanguínea e taquicardia, em alguns casos, obstrução das vias respiratórias.

As chances de uma pessoa sofrer um choque anafilático com anestesia bucal são as mesmas do que para o flúor e as resinas acrílicas usadas em restaurações. Ou seja, são muito pequenas e, caso aconteça, o dentista tem o conhecimento adequado e o preparo para prestar o devido socorro ao seu paciente, por isso, não é preciso se preocupar.

Essa substância pode ser usada em gestantes

Verdade, embora com algumas limitações. Não há nada que impeça uma gestante de receber anestesia bucal para fazer um tratamento ortodôntico, no entanto, o dentista precisa estar ciente da condição da sua paciente. Isso porque nem todos os tipos de substâncias anestésicas podem ser utilizados durante a gestação.

Existem exames que identificam alergias à anestesia

Mito. Seria interessante saber de antemão se a pessoa pode ter algum tipo de alergia com a anestesia bucal. No entanto, não existe um exame eficaz para detectar essa possível reação orgânica, e em alguns casos talvez isso nem mesmo fosse eficaz.

Afinal, mesmo um indivíduo que já realizou diversos procedimentos odontológicos e nunca teve problemas com anestesia bucal um dia pode apresentar uma reação alérgica. Por isso o ideal é consultar-se com um especialista bem-preparado para realizar o socorro se for necessário.

Apesar de não existir um exame, os dentistas têm um cuidado maior com os pacientes que apresentam sintomas de alergia quando em contato com o látex ou a borracha. Isso indica que existe uma possibilidade maior de desencadearem reações alérgicas pelo contato com o anestésico bucal.

Anestesia bucal causa efeitos colaterais

Verdade. Todo medicamento ou substância química pode desencadear reações indesejáveis no organismo e isso não é diferente com a anestesia bucal. Pode acontecer de um vaso sanguíneo ser lesionado durante a aplicação e desencadear um hematoma na região.

Outro efeito colateral indesejável é a parestesia, caracterizada pelo efeito prolongado da anestesia, que permanece por um período mais longo do que o previsto. Isso acontece principalmente quando a substância é aplicada próximo a um nervo e ele acaba sofrendo algum tipo de dano por causa dela.

A anestesia não pega em dentes infeccionados

Mito. O que pode acontecer é a anestesia ter um efeito menor do que aquele esperado quando os tecidos estão inflamados. No entanto, ela ainda tem a sua eficácia, mas em alguns casos, para que o tratamento seja mais confortável para o paciente, o especialista pode optar em primeiro combater a inflamação ou infecção para depois realizar a intervenção.

A anestesia é o único método para aliviar a dor

Mito. Não é somente a anestesia aplicada com agulha que pode ajudar a tornar os tratamentos odontológicos mais confortáveis para o paciente. Também é possível utilizar técnicas de sedação feita com óxido nitroso para garantir mais bem-estar. E ainda existem anestesias injetadas por meio de pressão na pele, mas o seu tempo de duração é menor.

Nem sempre a anestesia bucal funciona

Verdade. Há casos em que mesmo o dentista tendo aplicado a quantidade ideal de anestesia o paciente ainda relata desconforto durante o tratamento. Isso acontece por causa da resposta do organismo e em função de variações anatômicas. Elas provocam modificações na posição dos nervos, fazendo com que a anestesia não atinja o local onde faria maior efeito.

Como você viu, a anestesia bucal é um procedimento seguro que raramente causa complicações. Na verdade, é muito benéfica e eficaz, facilitando o trabalho dentista e trazendo mais conforto para o paciente. Mas se você sentir insegurança por causa dela, o ideal é conversar com o profissional para que ele possa fazer esse momento ser mas tranquilo.

Gostou de aprender sobre anestesia bucal? Então confira outros temas interessantes como esse! Assine nossa newsletter e receba conteúdos diretamente em seu e-mail.