Será que é necessário se preocupar com a cárie no dente de leite? Muitos adultos fazem esse questionamento quando surge essa lesão em crianças, já que o dente vai cair e será substituído.

No entanto, é fundamental que os pequenos façam o acompanhamento no odontopediatra e tratem qualquer problema o quanto antes. Uma cárie não tratada pode comprometer a estrutura do dente permanente e afetar a saúde bucal do paciente.

Quer entender melhor como surgem as cáries, como evitá-las nas crianças e os tratamentos mais indicados quando as bactérias lesionam o dente de leite? Acompanhe nosso post e tire todas as suas dúvidas!

Como surgem as cáries?

Todo mundo tem bactérias que vivem naturalmente na cavidade oral. A preocupação surge quando os restos de comida, principalmente o açúcar, não são retirados completamente com a escovação. Isso porque acabam servindo de “alimento” para esses agentes — que produzem ácidos e passam a desmineralizar o esmalte dentário.

Pronto: está formada a cárie, que começa de forma superficial e indolor, geralmente como uma mancha branca opaca na superfície dental. O problema é que, aos poucos, ela avança e vai destruindo a estrutura do dente.

E tanto faz ser de leite ou permanente — a lesão pode surgir em qualquer um deles. Só que as crianças têm o costume de comer mais doces do que os adultos, e não estão muito preocupadas com a higienização bucal. Assim, podem sofrer com a cárie no dente de leite.

Como evitar o problema nas crianças?

Apesar de o dente ser de leite, os pais não podem descuidar da saúde bucal das crianças. Dessa maneira, é essencial ficar atento à alimentação e aos cuidados de limpeza. Além disso, é preciso criar o hábito de levá-las desde cedo ao dentista.

Redução no consumo de doces

É importante incentivar o consumo de alimentos saudáveis, como legumes, frutas e verduras, e controlar o excesso de doces e outros produtos industrializados para reduzir as chances do surgimento de cáries — já que o açúcar é o ingrediente mais perigoso para a saúde bucal.

Muita gente não vê perigo, por exemplo, em sucos de fruta de caixinha, mas saiba que muitos deles têm uma quantidade de açúcar superior até mesmo aos refrigerantes. Por isso, é preciso atenção redobrada com os rótulos dos produtos.

Monitoramento da escovação

Além disso, os adultos devem incentivar a escovação dos pequenos. Torne esse hábito um momento divertido e compre escovas e cremes dentais coloridos e de personagens. A limpeza bucal deve ser realizada sempre depois das refeições e, principalmente, antes de dormir.

É necessário monitorar a higienização para se certificar de que eles fizeram de forma adequada. Ajude, por exemplo, na hora de colocar a pasta de dente na escova: para crianças de até 3 anos, o ideal é utilizar a quantidade equivalente a um grão de arroz cru; para aquelas acima dessa idade, o recomendado é o equivalente a um grão de ervilha cru.

Os pais devem ainda incentivar o uso do fio dental para retirar os restos de alimentos dos locais onde a escova não chega. O item vai prevenir a cárie no dente de leite e a gengivite. Em farmácias e supermercados você encontra fio dental voltado para o público infantil, com personagens nas embalagens e sabores variados.

Visitas ao odontopediatra

Assim como as crianças vão desde pequenas ao pediatra, devem também visitar o odontopediatra assim que surge o primeiro dentinho. O especialista fará a avaliação bucal e vai acompanhar o desenvolvimento da dentição.

Além disso, vai orientar os pais quanto à alimentação e limpeza bucal da criança, indicando, por exemplo, qual tipo de creme dental deve ser utilizado.

Na consulta de rotina, será realizada a profilaxia, ou seja, aquela limpeza bucal mais caprichada, e aplicação de flúor — mineral que protege os dentes das bactérias que causam a cárie.

Para deixar o paciente tranquilo, o odontopediatra se vale de brincadeiras, bonecos e até música para tornar o momento bastante lúdico.

Quando a criança se acostuma a ir desde pequena no consultório, perde o medo de dentista e passa a incorporar hábitos saudáveis de saúde bucal que vai levar para a vida adulta.

Atenção às queixas 

Os pais e responsáveis devem estar atentos a qualquer mudança na aparência dos dentinhos das crianças — como o aparecimento de manchas ou pequenos orifícios na estrutura.

Além disso, é preciso ficar atento às queixas de dor depois de morder algum alimento ou, até mesmo, na escovação e levá-las o mais rápido possível para avaliação do odontopediatra.

Como é o tratamento para cárie no dente de leite?

Mas e quando a cárie se instala? Qual é o tratamento indicado para o dente de leite? Tudo vai depender da extensão do problema — o importante é que seja tratado o quanto antes para evitar que avance e prejudique a estrutura dentária, inclusive o dente permanente, que ainda vai nascer. 

No caso de uma lesão superficial, por exemplo, o dentista retira o tecido cariado, faz a limpeza e recobre o espaço com a restauração — geralmente de resina composta, um material resistente da cor do dente. Se a cárie atinge a raiz dentária, o indicado é o tratamento endodôntico (de canal).

Se o tratamento de canal não puder salvar a estrutura do dente de leite, será necessária sua extração. Nessa situação, é indicado o uso de um aparelho que tem a função de manter o espaço do dente que foi retirado. Isso vai evitar que os outros dentes de leite se movimentem — o que poderia prejudicar a erupção do permanente, além de causar incômodos estéticos.

Dependendo da complexidade do tratamento, é necessário utilizar a anestesia. E, como é natural que as crianças sintam muito medo do procedimento, o dentista pode utilizar ainda uma sedação leve.

Viu só como é importante cuidar da saúde bucal inclusive na infância? O acompanhamento regular com o odontopediatra vai prevenir o aparecimento da cárie no dente de leite e permitir que os permanentes cresçam saudáveis.

Gostou do nosso post? Então saiba como cuidar do sorriso do seu filho acompanhando o conteúdo que preparamos sobre saúde bucal infantil. Boa leitura!