A erupção dos dentes no bebê ocorre em torno dos primeiros 6 meses, mas sua formação se inicia ainda durante a gravidez. Distribuídos nos ossos da maxila e mandíbula, eles nascem nos lugares já planejados geneticamente. Mas então, por que nasce um dente de leite torno em meio a outros retos?

Fatores genéticos e outros hábitos podem explicar a forma como os dentes de leite são afetados. A alimentação da mãe e, posteriormente, a do bebê pode interferir no desenvolvimento da mandíbula e arcada dentária. Alimentos industrializados podem prejudicar a formação dos dentes, mesmo se ingeridos pela mãe ainda na gestação.

A seguir, separamos algumas informações sobre os dentes de leite que nascem tortos e as complicações que eles podem gerar na vida de seu bebê. Confira!

Descida dos dentes de leite

Os dentes de leite, também conhecidos como provisórios, têm uma ordem correta para a sua descida começando pelos incisivos centrais inferiores, seguidos pelos superiores e laterais por volta do 12º mês de vida.

Os próximos dentes que se apresentam são os primeiros molares de leite aos 18 meses, e a dentição se completa com a descida dos caninos e segundos molares, quando a criança tem, em média, 2 anos e meio, totalizando 20 dentes de leite.

Sintomas da erupção dentária

É comum que distúrbios aconteçam durante o surgimento dos dentes de leite. Em alguns bebês, sintomas como irritação, aumento na salivação, febre e diarreia podem estar presentes nesse período. Outras manifestações que podem ocorrer são:

  • redução do apetite;
  • tosse;
  • vômito;
  • corrimento nasal;
  • gengivite;
  • coceira gengival.

Pelo incômodo causado devido à pressão dos dentes de leite na gengiva, o bebê leva muitas vezes a mão à boca tentando aliviar o desconforto. Por esse motivo, as diarreias e vômitos podem acontecer.

Aparecimento do dente de leite torto

Nos dias atuais, é muito comum o aparecimento de dente de leite torto em bebês. Após a globalização, aumentou o consumo de alimentos de origem processada, provocando o crescimento no número de crianças que apresentam anomalias na dentição. No entanto, além da alimentação, as causas do aparecimento do dente de leite torto podem ser:

  • uso de chupeta;
  • anomalia genética;
  • mordida cruzada;
  • mordida aberta;
  • mandíbula com crescimento excessivo ou menor que o ideal.

Observou-se que o consumo de alimentos crus pode aumentar o tamanho da mandíbula em até 10%. Entretanto, a falta desses alimentos na dieta infantil pode gerar o desenvolvimento de uma arcada menor, contribuindo para o nascimento de dentes tortos.

Em crianças com dentes já aparentes, o uso prolongado de mamadeiras e o ato de chupar o dedo podem provocar o entortamento desses dentes.

Complicações causadas por dentes de leite tortos

Embora o dente de leite seja substituído por dentes permanentes, alguns cuidados devem ser tomados quando se apresentam de forma torta ou torcida, pois podem causar complicações para a criança. Veja a seguir.

Desenvolvimento da fala

O crescimento inadequado dos dentes de leite pode acarretar problemas no desenvolvimento da fala. Dentes desalinhados e mal posicionados interferem diretamente nas funções do sistema estomatognático composto por músculos, ossos, dentes, mucosa e nervos, prejudicando a fala da criança.

Traumas na oclusão

Com o posicionamento incorreto dos dentes de leite, o equilíbrio da mordida pode ser comprometido. Os dentes sofrem impacto causado pela mastigação defeituosa, suportando sobrecargas que prejudicam as raízes e ossos.

Além de prejudicar a mordida, também afetam a capacidade de fechar a boca corretamente. Essa condição leva a criança a desenvolver problemas também na respiração.

Desenvolvimento de cáries

O dente de leite torto acaba dificultando a higienização adequada tornando um risco para o desenvolvimento de cáries. Isso também pode impedir a visualização para um diagnóstico, podendo fazer com que a cárie passe despercebida em uma avaliação odontológica.

Gengivite

Essa inflamação causada ao redor dos dentes pode ocorrer devido à dificuldade de higienização, assim como as cáries, ou pelo contato incorreto do alimento com a gengiva, quando não é realizado o deslizamento adequado.

Problemas na autoestima

A autoestima é formada desde a tenra idade, baseando-se na forma com a criança enxerga a si. Dentes tortos podem afetar diretamente a autoestima das crianças, principalmente aquelas que frequentam escolas e instituições de assistência precocemente.

Os dentes tortos podem ser motivo para bullying e falta de aceitação pela própria criança, desenvolvendo traumas no meio familiar e também escolar, tornando-os adultos com problemas de relacionamento, baixa autoestima e comportamento agressivo.

Tratando os dentes tortos

Para evitar que a criança desenvolva tais complicações, o diagnóstico deve ser realizado ainda em idade precoce. Alguns casos podem ser tratados sem a utilização de aparelhos ortodônticos (fixos ou removíveis).

Algumas técnicas consistem na alteração do formato de alguns dentes de leite utilizando resinas compostas, proporcionando contatos dentários mais satisfatórios durante a mastigação para estimular as arcadas.

Em outras situações, profissionais podem indicar ortopedia funcional dos maxilares com aparelhos. As práticas funcionam de maneira indolor, proporcionando estímulo adequado para o desenvolvimento dos ossos e contribuindo para o seu alinhamento.

Melhor idade para iniciar avaliação e tratamento

A partir dos 6 anos a maior parte das crianças consegue usar aparelhos removíveis, tornando essa idade ideal para um tratamento odontológico. Nessa idade, o ortodontista consegue planejar o melhor período para intervir caso seja preciso.

No entanto, é indicado que a partir do aparecimento dos primeiros dentes de leite, o bebê faça uma visita a uma clínica odontológica para avaliar o crescimento correto. Isso acontece em média nos 6 meses de idade.

O monitoramento do crescimento dos ossos faciais e o nascimento dos dentes devem ser avaliados, assim como a troca para os dentes permanentes. Veja alguns sinais que indicam o momento para procurar tratamento adequado:

  • nascimento de dentes somente em parte inferior ou superior da boca;
  • crescimento de dente tortos ou torcidos, que atrapalhem a mordida ou oclusão bucal;
  • criança que fala projetando a língua entre os dentes;
  • queixo para trás;
  • face assimétrica;
  • ranger de dentes;
  • respiração pela boca.

Agora você já sabe mais sobre o dente de leite torto, suas complicações e formas de solucionar esse problema. Mas cabe ainda ressaltar que, tão importante quanto cuidar da saúde bucal infantil, é procurar um profissional de confiança e credibilidade para cuidar de seus pequenos.

Nosso artigo foi útil e interessante para você? Então, assine nossa newsletter e receba conteúdos relevantes como este diretamente em seu e-mail!