O que é a dor orofacial e como é feito esse diagnóstico?

3 minutos para ler

Você já ouviu falar em dor orofacial? Segundo um estudo realizado nos Estados Unidos, ela atinge 22% da população mundial. É preciso dar atenção especial aos sinais, pois eles podem ser confundidos com simples dores de cabeça e de ouvido ou tensão decorrente de um dia estressante.

Apenas um profissional especializado — o dentista — é capaz de realizar o diagnóstico adequado da dor orofacial por meio de exames específicos. O tratamento vai depender da causa da dor — geralmente, algum tipo de problema dentário. Entretanto, hábitos saudáveis podem preveni-la.

Neste post, você vai entender melhor sobre a dor orofacial, as formas de diagnóstico e tratamento e como evitar o problema. Confira!

O que é dor orofacial?

São dores localizadas nos tecidos da cabeça, da face, do pescoço e nas estruturas da mandíbula e do maxilar. As causas mais comuns são os problemas dentários — de uma simples cárie a abscessos e doenças periodontais. Já os principais sintomas são espasmos musculares, dificuldades de mastigação, dor de cabeça e de dente.

A dor orofacial afeta a articulação temporomandibular (ATM). Como essa estrutura é essencial para garantir tudo o que engloba os movimentos da boca, como a fala e a mastigação, tal quadro pode levar à limitação e ao travamento da mandíbula decorrentes da DTM (disfunção temporomandibular).

Outra consequência da dor orofacial é o surgimento do bruxismo, ou seja, o ranger dos dentes. Por esse motivo, a qualquer sinal de que há algo errado, é fundamental procurar o dentista. Esse profissional fará o correto diagnóstico do problema e seguirá com o tratamento adequado.

Como diagnosticar a dor orofacial?

Primeiro, é preciso explicar ao seu dentista o que você está sentindo e quais são os seus hábitos de mastigação. Em seguida, cabe a ele realizar exame clínico, além de exames de imagem e outros, se necessário.

Durante a consulta, o profissional faz o apalpamento e a auscultação, atentando para os movimentos da boca, a fim de avaliar uma possível limitação. É importante investigar também o histórico do paciente para saber se já houve alguma ocorrência similar no passado. Casos graves exigem ressonância magnética e tomografia.

Quais são os tratamentos disponíveis?

O tratamento para a dor orofacial vai depender de sua causa. Em geral, os profissionais de odontologia prescrevem relaxantes musculares, analgésicos, anti-inflamatórios e sedativos. A depender da gravidade, os protetores bucais ajudam na recuperação.

Outras opções são o alongamento e a fisioterapia, que costumam gerar bons resultados. Entretanto, para prevenir a dor orofacial, a recomendação é a adoção de hábitos saudáveis, como atividades de relaxamento, exercícios físicos regulares e demais práticas que aliviam o estresse. Elas evitam a tensão, logo, ajudam a manter relaxada a região mandibular.

Agora, você sabe o que é dor orofacial e como diagnosticá-la e tratá-la. A qualquer sinal de desconforto, não hesite em procurar o consultório odontológico para a devida investigação. O CROOL conta com profissionais altamente capacitados, que estão preparados para atender você do jeito que merece.

Este post foi útil? Se sim, aproveite para se informar mais um pouco. Descubra por que é importante ir periodicamente ao dentista!

Posts relacionados

Deixe um comentário