O flúor é uma substância essencial para garantir a saúde dos dentes. No entanto, assim como qualquer nutriente, quando em excesso no organismo, ele traz complicações e pode ocasionar a fluorose dental.

Essa é uma condição que afeta a pessoa desde a infância e a segue durante toda a sua vida. O maior problema é o fato de que provoca efeitos negativos para a estética do sorriso em função das características que apresenta.

Como exige cuidados ainda na infância, preparamos este artigo a fim de esclarecer quais são as causas da fluorose, suas características e quais são os tratamentos para que você possa cuidar bem da saúde bucal dos seus filhos. Continue lendo para se informar melhor.

O que é a fluorose dental

Uma grande parte da estrutura dos nossos dentes é mineral, por isso, necessita de nutrientes que garantam a sua resistência e saúde a fim de cumprirem as suas funções sem problemas. O flúor é um mineral essencial para a proteção e mineralização do esmalte dentário, e é por isso que ele está presente nos produtos de higiene bucal.

Embora esse seja um fator positivo, o contato excessivo com flúor tem desencadeado casos de fluorose dental, uma condição que se manifesta quando sua ingestão ultrapassa a recomendada como saudável.

A fluorose dental afeta os dentes quando eles ainda estão em formação, ou seja, antes de nascerem. Ela pode se apresentar tanto nos dentes de leite como nos permanentes, por isso, seus primeiros sinais são percebidos logo na infância e seguem durante toda a vida.

As características do excesso de flúor nos dentes

A fluorose dental não é considerada como uma doença bucal. Isso porque ela não traz prejuízos para a saúde dos dentes ou dos tecidos bucais, não sendo causada por agentes patogênicos, como fungos, vírus ou bactérias.

Trata-se de uma condição que gera prejuízos exclusivamente estéticos, embora também possa provocar alterações na estrutura dentária causando irregularidades ou a sua perda. Isso acontece em casos mais graves, em que o esmalte se torna poroso e, por isso, se desgasta facilmente.

As características desse problema são percebidas quando o paciente ainda é criança. Afinal, como dito, o contato excessivo com o flúor, provocando a fluorose dental, acontece ainda nos primeiros anos de vida da pessoa.

Os dentes afetados por essa condição apresentam os seguintes aspectos:

  • manchas esbranquiçadas e opacas no esmalte;

  • manchas escuras na tonalidade castanha ou marrom;

  • irregularidades na superfície do esmalte.

Como você pode ver, a aparência do sorriso fica prejudicada por causa da fluorose dental, por isso, a criança não terá dentes brancos ou com uma cor homogênea. Vale lembrar que esse problema seguirá durante toda a vida se não for realizada alguma intervenção.

Isso porque o esmalte se desenvolveu com essas características, não sendo um problema de falta de higiene ou descuido na escovação, muito menos de pigmentação por causa de alimentos. O indivíduo pode ter dentes saudáveis, no entanto, manchados por causa do excesso de flúor.

As causas da fluorose dental

Apesar de a fluorose dental ser causada pelo contato excessivo com flúor, a escovação realizada com pastas de dentes contendo essa substância não causa esse problema. Como dito, ele se manifesta na infância durante a formação dos dentes e por causa da ingestão do mineral.

Sendo assim, o problema também não está no fato de a criança escovar os dentes com uma pasta que contenha flúor, mas sim na ingestão dela. Então, se o seu filho engolir o produto constantemente, ele estará suscetível a manifestar essa complicação.

Além disso, a ingestão de água fluoretada também estimula o surgimento dessas manchas. O mesmo acontece com produtos industrializados e com alguns alimentos ricos em flúor. Assim, a nutrição excessiva e constante do organismo com essa substância acaba prejudicando a dentição.

É por isso que os pais precisam ficar muito atentos enquanto as crianças estão escovando seus dentes. É muito importante utilizar cremes dentais específicos para cada faixa etária e instruir a criança sobre o modo correto de usar esse produto.

Ao mesmo tempo, o cuidado com a composição da água e com os tipos de alimentos oferecidos é essencial. Dessa forma, haverá controle sobre a ingestão do flúor e ele estará no organismo na quantidade adequada para garantir a saúde e não prejudicar os dentes.

Pessoas adultas não precisam se preocupar em trocar o creme dental por outro que não contenha o mineral. Conforme explicado, não é a escovação que provoca a fluorose dental, mas sim a ingestão do mineral. Então, se a pasta não for engolida, não haverá problema, mesmo porque os dentes já se formaram e não há risco de desenvolver manchas por causa desse fator.

Os tratamentos para o excesso de flúor nos dentes

A fluorose dental não é um problema grave para a saúde bucal, no entanto, ela afeta bastante a estética do sorriso. Uma vez que as manchas se instalaram, elas não desaparecem com o tempo, assim, a criança que tem dentes com marcas de fluorose continuará a ter essas características durante toda a adolescência e a vida adulta.

Mas existem tratamentos que ajudam a atenuar ou até mesmo a eliminar as manchas provocadas pelo excesso de flúor. Uma das opções é a microabrasão, uma técnica que consiste em promover um leve desgaste da superfície do esmalte para eliminar a camada que foi tingida quimicamente.

Em outros casos, o clareamento dental pode ser a melhor alternativa. Mas para aqueles cujo aspecto do dente foi muito prejudicado, o especialista pode recomendar o uso de facetas de porcelana. De toda forma, é possível ter um sorriso mais harmônico e homogêneo.

Embora exista tratamento, o ideal é que a fluorose seja evitada, e isso cabe principalmente aos pais. Aqui ressaltamos a importância do acompanhamento com o odontopediatra assim que os primeiros dentes de leite começarem a nascer.

Mas depois que o problema já está instalado, o ideal é procurar um especialista para que ele indique a intervenção mais adequada para melhorar o aspecto do esmalte dentário. Evite alternativas caseiras para tratar a fluorose dental, pois isso poderá causar impactos negativos à saúde bucal. Um especialista experiente é sempre a melhor alternativa.

Quer mais informações interessantes para cuidar bem da saúde bucal da sua família? Assine nossa newsletter e receba conteúdos diretamente em seu e-mail!