Qualquer pessoa preocupada em ter um sorriso mais bonito sabe da importância de cuidar bem de seus dentes. Afinal, muito mais do que somente uma questão estética, o zelo pela saúde bucal é essencial para evitar complicações mais sérias.

Um dos problemas mais comuns, e que pode trazer uma série de consequências negativas, é o desgaste do esmalte dentário. Sua principal função é proteger a parte interna dos dentes e evitar o surgimento de condições que possam comprometê-los ou mesmo ocasionar sua perda definitiva.

Então, quer saber como evitar o desgaste dessa estrutura e as complicações causadas por esse processo? Continue lendo e confira!

Para que serve o esmalte dentário?

O esmalte é a parte visível dos nossos dentes, que pode ter desde uma coloração branca acinzentada até uma mais amarelada. Com cerca de 97% de minerais em sua composição, ele é considerado o tecido mais resistente do corpo humano.

Toda essa força tem uma justificativa: ele é o grande responsável pela proteção da estrutura interna de nossos dentes, composta pela dentina e pela polpa, além dos nervos presentes na região. Assim, o seu desgaste pode levar a problemas como a sensibilidade, o surgimento de cáries e até a perda de toda a estrutura dentária.

Quais problemas posso ter se não tiver cuidado?

A boca contém um elevado número de bactérias que, se não mantidas sob controle, podem ocasionar diversas doenças. O esmalte dentário, dessa forma, atua evitando a invasão desses micro-organismos na estrutura interna dos dentes.

Quando ocorre a desmineralização desse protetor natural, alguns problemas começam a surgir, podendo se agravar com o tempo. Por isso, é essencial visitar regularmente o dentista e buscar ajuda odontológica ao surgimento de qualquer um dos sintomas abaixo:

Aumento da sensibilidade

Uma indicação bastante comum de que há algo de errado com esse esmalte é a sensibilidade dentária.

Sentir incômodo ao consumir alimentos muito quentes ou gelados pode ser um sinal de que houve desgaste nessa estrutura. Dependendo do grau de deterioração é possível, ainda, experimentar dor aguda ao ingerir alimentos muito doces.

Lascas e trincas

Perceber reentrâncias nos dentes ou a quebra de alguma parte deles pode ser sinal de erosão dental. A corrosão da sua camada protetora facilita a proliferação de bactérias e o surgimento de cáries na região.

Ter desconforto ao mastigar alimentos duros, como vegetais crus, também pode ser um indicativo da situação.

Alteração de cor

Além das causas mais comuns de manchas nos dentes, como o fumo e o consumo de alimentos com corante, a deterioração do esmalte dentário também pode levar ao amarelamento do sorriso.

A desmineralização da estrutura protetora deixa mais visível a dentina, tecido que fica abaixo dessa camada e que tem um tom naturalmente amarelado.

Como proteger esse tecido e evitar complicações?

O melhor tratamento continua sendo a prevenção. Por isso, algumas simples atitudes podem evitar o surgimento de problemas causados pela deterioração do esmalte dentário. Vejamos:

Trate o bruxismo

Ranger os dentes com frequência é um hábito incômodo que promove o desgaste da camada protetora da estrutura dentária. Procure um dentista se notar esse comportamento.

Evite o consumo de alimentos e bebidas ácidas

Uma alimentação rica em substâncias ácidas pode causar erosão na parte externa dos dentes. Para diminuir esse risco, evite o excesso na ingestão de refrigerantes, sucos cítricos, café, chá-preto, vinho e ketchup, por exemplo.

Escove os dentes da maneira correta

Escovar os dentes com força ou frequência excessivas também pode trazer problemas à região. Aliás, a prevenção já começa na escolha da escova, que deve ter, preferencialmente, cerdas macias.

Além disso, é essencial manter a higiene bucal em dia, com o uso de fio dental, creme dental com flúor e enxaguante bucal, pelo menos, uma vez por semana.

Enfim, gostou do post? Aproveite também para saber como fazer uma escovação ideal e evitar o desgaste do esmalte dentário!