O termo implante dentário pode assustar alguns — mas, após a leitura do post de hoje, qualquer pessoa se sentirá mais segura para receber os “novos dentes” (artificiais), pois entenderão que a técnica é realizada de maneira simples, fácil e surpreendentemente tranquila para o paciente! Vamos lá?

O que é o implante dentário?

Implantes dentários são pinos de titânio que parecem um parafuso — e são presos nos ossos dos dentes de cima e nos dentes de baixo, logo abaixo da gengiva. Ele ocupa o lugar da raiz do dente que quebrou ou que foi extraído, e é nele que o dente artificial será colocado. Para quem está inseguro, pode se tranquilizar: trata-se de um procedimento simples e rápido, como você vai ver a seguir!

Como o implante é colocado?

Primeiro, o cirurgião extrai os dentes problemáticos, preservando o que sobra do osso. Então, ele parafusa o pino de titânio e, depois, é colocado um extensor do pino — que se fixará na parte superior do dente, chamada de coroa.

Em alguns casos, esse procedimento é bastante simples; em outros, é preciso preencher o osso para o implante ficar mais resistente e no lugar correto. Esse método é chamado enxerto ósseo e, geralmente, o osso utilizado na técnica vem do próprio paciente — mas também pode ser usado um material importado. Apesar de um pouco mais elaborado, o enxerto ósseo também é um procedimento tranquilo.

O implante dentário é recomendado para quais pacientes?

Podem receber o implante de dente as pessoas que não se encaixem nas seguintes condições:

  • Diabéticos que não seguem as orientações médicas para controlar a doença;
  • Pessoas que fumam em excesso;
  • Quem está passando por um tratamento de câncer, osteoporose ou hepatite;
  • Quem tem problemas cardíacos graves.

Se beneficiam do procedimento, portanto, as pessoas com gengivas e ossos sadios, com hábitos saudáveis e que não estejam passando por outros tratamentos que podem enfraquecer o organismo.

O implante não é recomendado para crianças que ainda estão em fase de crescimento. Quem não tem ossos na boca também pode colocar implante dentário — mas, antes, precisa fazer um tratamento. Cabe ao dentista analisar cada caso, dependendo da perda óssea.

Como é a recuperação do paciente?

Em geral, a recuperação é rápida — mas é claro que tudo depende do tamanho do procedimento realizado. Como o local fica anestesiado, o paciente não sente nenhum tipo de dor e nem mesmo incômodos durante a implementação.

Já a sensibilidade pode variar, dependendo de quantos dentes foram implantados. Se foram feito um ou dois implantes, a recuperação é bem tranquila. Com mais de dois implantes em um mesmo procedimento, pode ocorrer uma dor leve, que é controlada com analgésicos comuns.

Todo o processo é tão simples que, em geral, o paciente pode voltar ao trabalho 24 horas após o procedimento!

Como é feita a manutenção dos dentes implantados?

A manutenção é feita de duas maneiras, em conjunto: em casa, com os cuidados diários do paciente, e no consultório com os cuidados do dentista.

Na limpeza oral diária, o paciente com implantes dentários deve cuidar dos dentes da mesma forma que sempre fez durante toda a vida. Assim, escovar os dentes após as refeições, usar fio dentais e enxaguatórios bucais são os cuidados essenciais. Apenas em alguns casos a higienização poderá se diferenciar um pouco — isso será informado pelo profissional que colocou o implante.

O implante precisa ser substituído após um tempo?

Normalmente não, pois o índice de sucesso é de 98%. Mas, em 2% dos pacientes, o procedimento pode precisar ser refeito. Entretanto, em fumantes ou em quem ingere bebidas alcoólicas com frequência, o insucesso pode alcançar 15% dos casos — ou seja, a cada cem pessoas fumantes ou usuárias de bebidas, 15 podem necessitar repetir o processo.

Viu só? O implante dentário é um procedimento simples e seguro! Quer receber mais dicas como essas? Então, assine nossa newsletter e acompanhe todo o nosso conteúdo!