Por que fazer um clareamento dentário

3 minutos para ler

A tonalidade dos dentes é uma característica tão individual quanto a cor da pele ou dos cabelos. No entanto, alguns alimentos podem escurecer os dentes e deixá-los amarelados, assim como substâncias como as que estão presente em cigarros, antibióticos e outros medicamentos; traumas; higiene deficiente com acúmulo de placas e tártaro; e  até mesmo o envelhecimento.

O clareamento dental é uma forma eficaz e segura para conseguir dentes mais claros, bonitos e com aparência mais jovem. Mas não é recomendado em todos os casos e nem funciona para todos os tipos de manchas. Por isso, é imprescindível consultar o dentista para uma avaliação sobre o melhor momento e método para clarear os dentes. Confira os benefícios e cuidados na hora de fazer um clareamento dentário.

Indicações para o clareamento dentário

Em geral, o clareamento é indicado a partir dos 30 anos, que é quando os dentes começam a ficar mais amarelados. No entanto, para pessoas que apresentam manchas precoces – causadas principalmente pelo consumo excessivo de alimentos muito pigmentados ou com corantes artificiais – o procedimento pode ser feito antes, sempre com orientação do dentista.

O clareamento garante dentes brancos por mais tempo

Há três formas de fazer o clareamento dentário: caseiro, no consultório e a mescla de ambos. Mas mesmo o feito em casa precisa de acompanhamento para evitar danos à gengiva e  às mucosas bucais e garantir o efeito desejado. No método caseiro o próprio paciente aplica a substância clareadora nos dentes, com o auxílio de um molde de silicone previamente feito pelo dentista. É menos agressivo, mas é preciso ser feito por mais tempo – normalmente durante três semanas com uso diário de seis horas.

No clareamento profissional o gel utilizado é mais forte e potencializado pelo uso de lazer ou luz de LED, por isso precisa do controle mais rigoroso de quantidade da substância e tempo de exposição para evitar danos. Os resultados são mais rápidos – em geral três sessões, com percepção de clareamento já na primeira. No entanto, por ser mais agressivo, pode deixar os dentes mais sensíveis.

A mescla dos dois métodos é considerada mais eficaz. Inicia-se com o tratamento caseiro, já preparando os dentes para a aplicação profissional, reduzindo os efeitos de sensibilidade.

Em todos os métodos, os resultados duram em média de um a dois anos, mas é possível prolongar os efeitos com visitas periódicas ao dentista para avaliação e limpeza, e uma higienização cuidadosa dos dentes. O uso de creme dental clareador e enxaguantes bucais também ajudam na manutenção do clareamento.

Alimentos proibidos durante o tratamento

As bebidas de pigmentação forte como o café, vinho e refrigerantes devem ser evitadas durante o tratamento, elas podem causar manchas e escurecer os dentes, prejudicando os resultados. Na lista também entram o açaí e o molho de tomate, que tem alta concentração de corante.

Quando o clareamento não funciona

Manchas congênitas ou as desenvolvidas na infância devido ao contato excessivo com flúor ou pelo uso do antibiótico tetraciclina, dificilmente são removidas com um clareamento. As manchas cinzas ou castanhas também não saem com esse procedimento – que também é contraindicado para pessoas com muita sensibilidade nos dentes, pois pode causar inflamações agudas em gestantes, crianças e adolescentes menores de 16 anos.

Ainda tem dúvidas sobre o clareamento dentário? Deixe nos comentários!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário