A gestação é um momento muito especial da vida da mulher, mas também é marcada por inúmeras mudanças físicas e psicológicas. Muitas dessas alterações podem provocar abalos no organismo e na cavidade oral, que desencadeiam problemas bucais na gravidez.

Por isso, é essencial redobrar os cuidados fazendo o acompanhamento pré-natal e também odontológico, a fim de manter a saúde bucal em equilíbrio e todas as demais funções orgânicas também.

Mas você sabe o que pode acontecer com os dentes e tecidos da boca de uma mulher grávida? Neste artigo listamos os problemas mais comuns e recorrentes durante a gestação, para que você compreenda as suas causas e saiba como evitá-los. Continue lendo e veja quais são eles!

1. Hipossalivação

A saliva tem um papel muito importante para a manutenção do equilíbrio da saúde bucal. Por isso, ela precisa ter a composição adequada, a fim de favorecer o processo de mineralização do esmalte dentário, manter o pH da boca e realizar a limpeza natural dos dentes, além de prevenir as cáries.

Durante a gravidez as mudanças hormonais e também as preferências alimentares da mulher provocam alterações na saliva. Isso causa uma queda na produção dela ou modifica a sua composição química.

Desse modo, os dentes perdem um pouco da sua proteção natural, assim como todos os demais tecidos da boca. Então, a mulher fica suscetível a diversos problemas, mas isso pode ser evitado equilibrando a qualidade da saliva outra vez.

A escovação dos dentes é essencial, mas também é preciso manter uma alimentação saudável e nutritiva, ao mesmo tempo caprichando na ingestão de água. Afinal, é preciso que o organismo esteja hidratado para que ele produza a quantidade certa de saliva, na composição adequada.

2. Gengivite

Os problemas bucais na gravidez não afetam apenas os dentes, porque eles também podem se manifestar na gengiva, em especial na forma de gengivite. Essa é uma inflamação que provoca inchaço, vermelhidão, dor e sangramento gengival.

Isso acontece em função das alterações hormonais pelas quais a mulher passa durante a gestação. Também está relacionada com a circulação sanguínea e a queda da qualidade e da produção da saliva, que foi citada. Tudo isso favorece a proliferação de bactérias, em especial se a higiene não for feita corretamente.

Afinal, uma das principais causas da gengivite é o acúmulo de placa bacteriana, que estimula a proliferação de microrganismos. Por isso, é fundamental que a grávida escove muito bem os seus dentes e use o fio dental, para evitar que as gengivas fiquem inflamadas.

De toda forma, caso o problema se manifeste, é essencial procurar um dentista logo nos primeiros sintomas. Isso porque, quando a gengivite não é tratada, ela evolui para uma condição mais grave, a periodontite, que pode generalizar nos tecidos que sustentam os dentes.

3. Periodontite

Como dito no item anterior, a periodontite é uma complicação da gengivite. Quando ela não recebe o devido tratamento, os tecidos inflamam cada vez mais, os microrganismos se proliferam exageradamente e afetam os tecidos periodontais.

Eles fazem a sustentação dos dentes, mantendo-os fixos na boca, mas quando a periodontite se manifesta ocorrem abalos nessas estruturas, sendo que os ossos, fibras colagenosas e outros, podem ficar cada vez menos densos. Assim, os dentes perdem seu alicerce e, não tendo mais o que os segure, se soltam da boca. Ou seja, a periodontite causa a queda de dentes.

Para evitar que esse problema aconteça, é essencial que a gestante mantenha uma boa higiene bucal. Caso haja indícios de gengivite, o dentista deve ser procurado o quanto antes para tratar a condição e evitar que a inflamação se estenda a esse ponto.

4. Granuloma gravídico

Os problemas bucais na gravidez também se manifestam em função das alterações que acontecem na circulação sanguínea da mulher. Uma das condições que ocorrem nessa fase é a formação do granuloma, uma lesão vascular resultante de traumas ou das próprias mudanças provocadas pela gestação.

O granuloma é uma espécie de caroço que se forma na gengiva. Apesar do seu aspecto, que pode assustar, trata-se de uma lesão benigna. Porém, ele precisa ser retirado, porque causa desconfortos por causa do tamanho que pode atingir.

Não é conhecida ainda uma forma de prevenção para esse problema, sendo, portanto, necessário observar as mucosas bucais para perceber alterações ainda no começo. O dentista deve ser consultado caso elas ocorram, para que seja adotado o melhor tratamento.

5. Erosão do esmalte

A erosão do esmalte dentário se caracteriza por mudanças na estrutura dos dentes, como o seu desgaste ou a formação de buracos. Ela acontece por causa da acidez excessiva na boca, decorrente de alterações na saliva ou do consumo excessivo de bebidas e alimentos ácidos.

Refluxo gastroesofágico, vômitos constantes e distúrbios alimentares também podem desencadear esse problema. No caso das mulheres grávidas, ele está associado aos enjoos típicos desse estado.

Quando acontece o retorno do conteúdo estomacal, ele chega até a boca junto com os ácidos que fazem a digestão dos alimentos. São eles que agridem o esmalte dos dentes e causam a erosão. Além dos prejuízos estéticos, essa condição também afeta a saúde bucal, aumentando as chances de cáries e desencadeando a sensibilidade.

O ideal é combater os enjoos por meio de medicação prescrita pelo obstetra e, sempre que acontecerem os enjoos ou vômitos, fazer a higienização bucal. Assim, os resíduos e ácidos serão removidos da boca, evitando agressões ao esmalte.

6. Cáries

A saúde bucal da gestante também pode ser abalada pelas cáries. Elas estão relacionadas com as alterações do fluxo salivar e com as mudanças dos hábitos alimentares da mulher. Afinal, a gravidez estimula o consumo de alimentos ricos em amido e açúcar, que favorecem a formação da placa bacteriana.

As cáries são resultado das agressões provocadas pelos ácidos liberados por bactérias que se proliferam nos resíduos alimentares. Eles causam a desmineralização do esmalte dentário, destruindo a estrutura dos dentes.

Para evitar que isso aconteça, a mulher precisa higienizar muito bem seus dentes após cada refeição, beber bastante água e manter um cardápio mais saudável. Além disso, é essencial preferir cremes dentais com flúor, porque essa substância ajuda a remineralizar o esmalte, fortalecendo-o.

Os problemas bucais na gravidez precisam ser combatidos porque além de causarem prejuízos para a saúde bucal da gestante, também podem prejudicar o bebê. Então, esteja atenta aos cuidados essenciais nessa fase e conte sempre com um bom dentista para complementar a higiene feita em casa com outras medidas preventivas.

O melhor é se consultar com um dentista experiente para que ele possa cuidar bem de você durante a gestação, observando suas necessidades. Por isso, veja este artigo que ensina como escolher o dentista ideal.