Entenda como funciona a radiografia odontológica e quais os tipos

3 minutos para ler

A radiografia odontológica é popularmente chamada de raio X da boca. Ela compreende os exames de imagem dos dentes, da gengiva, dos maxilares, entre outras estruturas da região oral. Trata-se de um meio complementar de diagnóstico e terapia empregado não só pelos dentistas.

Logo, médicos de outras especialidades a utilizam para a análise de diferentes áreas do corpo humano. Na odontologia, particularmente, os exames de raio X, além de serem usados para o diagnóstico, servem para o acompanhamento de tratamentos variados, como cirurgias, procedimentos periodontais e ortodônticos.

Neste post, abordamos o funcionamento do raio X nos dentes, os tipos existentes e a relação entre a radiografia e o uso de aparelho ortodôntico. Leia!

Funcionamento do raio X odontológico

Por meio de um processo de radiação controlada, é possível identificar as estruturas orais (dentes, gengiva, ossos dentais etc.). Regiões menos densas — gengiva e a própria área cariada, por exemplo — são mais fáceis de atravessar. Por isso, na radiologia odontológica, elas aparecem de forma escurecida.

Por sua vez, áreas mais densas são mais difíceis de penetrar. É o caso dos dentes, dos ossos e dos materiais restauradores, por exemplo. Tais partes da boca aparecem mais claras no raio X odontológico.

Tipos de radiografia odontológica

Há dois tipos de radiografia odontológica: a intraoral e a extraoral. Saiba mais!

Radiografia intraoral

A radiografia intraoral serve para visualizar a região interna da boca. Por meio dela, é possível identificar doenças orais, como a cárie. Ela pode ser:

  • periapical: avalia a anatomia bucal, da coroa ao fim da raiz, a fim de diagnosticar alterações como tumores e cáries;
  • interproximal (bitewing): identifica as arcadas superiores e inferiores. Possibilita visualizar cáries entre os dentes, perda de massa óssea, ajuste de restaurações e alinhamento dentário;
  • oclusal: usada para acompanhar o nascimento e desenvolvimento dos dentes, como nos casos de dentição infantil que não rompeu. Serve também para avaliar a raiz, dentes inclusos e fraturas.

Radiografia extraoral

A radiografia extraoral também serve para detectar problemas dentários, porém, é menos detalhada, já que a área de visualização é sobre os maxilares e o crânio. Ela pode ser:

  • panorâmica: gera uma visualização mais extensa da arcada dentária, bem como das áreas da mandíbula e do maxilar. É recomendada, principalmente, no planejamento de tratamentos odontológicos;
  • digital: permite a captura de imagens por meio de placas de circuitos sensíveis às imagens radiográficas, que são enviadas para o computador. Usa menos radiação e possibilita o compartilhamento para mais de um profissional.

Raio X nos dentes e uso de aparelho ortodôntico

Quem usa aparelho ortodôntico deve fazer radiografia odontológica com regularidade. Isso porque, nesse período, ocorre a mudança de posição dos dentes, processo imprescindível para a correção dentária. Sendo assim, o dentista precisa visualizar a estrutura bucal interna dos pacientes para avaliar a resposta ao tratamento. O raio X odontológico, portanto, é de suma importância.

Durante a leitura, você aprendeu o que é radiografia odontológica e quais os tipos. Sem dúvida, o procedimento é imprescindível para o diagnóstico preciso de doenças e alterações, além de um tratamento eficiente. Se precisar, conte com o auxílio do CROOL, que tem laboratório próprio de radiologia e os melhores dentistas da cidade de Goiânia.

Está em busca de um dentista? Entre em contato com o CROOL agora mesmo!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário