Entenda aqui os tipos de ortodontia e quando são indicados

4 minutos para ler

Ter o sorriso que você tanto espera, assim como a saúde bucal necessária, é uma das grandes preocupações entre os brasileiros. Nesse sentido, existem diferentes tipo de ortodontia que visam atender variados problemas que impactam a nossa qualidade de vida.

Em resumo, essa área da odontologia corrige posições de dentes e ossos maxilares que atuam de maneira inadequada. Ou seja, o foco não é apenas estético, mas também funcional.

Mas, afinal de contas, quais são os principais tipos de ortodontia que existem? Quais deles devemos procurar? Se essas são algumas das suas dúvidas, confira a leitura do artigo e entenda melhor sobre o tema agora mesmo!

Conheça os diferentes tipos de ortodontia

Antes de mais nada, é preciso entender que eles se diferenciam a partir das características dos seus tratamentos e quais são os principais focos que cada um tem. Confira quais são eles!

Preventiva

Como o seu próprio nome já sugere, ela age na prevenção do desenvolvimento de algum problema futuro. Dessa forma, com o decorrer da abordagem, a chance de necessitar de aparelhos fixos e até mesmo cirurgias ortognáticas são bem menores.

Além disso, podemos considerá-la como uma abordagem educativa, que orienta as pessoas a evitarem maus hábitos. A ideia aqui é evitar que futuramente possamos desenvolver alguma patologia na arcada dentária.

Por esse motivo, a ortodontia preventiva atua com diagnósticos precisos, que avaliam a probabilidade de desenvolver os problemas. Também podemos entendê-la como uma abordagem que auxilia em disfunções fonoaudiólogas e respiratórias que envolvem os dentes e a língua.

Interceptiva

Em seguida, temos uma outra ortodontia, que é a interceptiva. Ela atua quando já existe algum tipo de oclusão que pode comprometer a funcionalidade estática e facial do paciente. 

Ela é indicada quando não existe nenhum tipo de tratamento preventivo, como a mordida cruzada e suas consequências. Sendo assim, nesse caso é fundamental passar por alguma intervenção que evite maiores problemas no futuro.

Usando a mordida cruzada como um exemplo, a ortodontia interceptiva evita que ela se torne um desequilíbrio esquelético e periodontal. Caso contrário, o paciente pode perder o arco dentário, além de apresentar retração gengival.

Entre os tratamentos existentes estão o uso de placa móvel, molas digitais, arco palatino, entre outros.

Corretiva

Por fim, e não menos importante, temos o tipo de ortodontia mais comum: a preventiva. Ela também é considerada a mais tradicional. Nesse caso, é necessário intervir quando as deformidades da nossa arcada já comprometeram a funcionalidade bucal, como mastigação, alinhamento, mecânica da língua, entre outras.

Em sua grande maioria, são utilizados aparelhos ortodônticos que realizam a movimentação gradativa de ossos e maxilares. Com o tempo, problemas como apinhamento, diastema, entre outros, são corrigidos.

Outro tipo de técnica que vem ganhando mais espaço é o uso do aparelho invisível. Eles são utilizados a partir da tecnologia 3D e reduzem drasticamente o tempo de tratamento. Além disso, podemos observar menos impacto na autoestima do paciente.

Como vimos, cada tipo de ortodontia é extremamente útil para a funcionalidade e saúde dos nossos dentes e todo o conjunto de itens que compõem a saúde bucal. Nesse sentido, é importante identificar clínicas e profissionais especialistas e reconhecidos no mercado. Nós da Crool, por exemplo, somos referências da área em Goiânia.

Quer saber mais como trabalhamos e por que somos considerados o melhor centro odontológico? Então, entre em contato conosco agora mesmo e saiba mais!

Posts relacionados

Deixe um comentário