Tratamento para a gengivite: como funciona?

4 minutos para ler

A gengivite consiste numa inflamação da gengiva causada pelo acúmulo de placa bacteriana. A formação da placa ou biofilme dental se dá constantemente e, por isso, demanda um cuidado constante quanto à escovação dos dentes e o uso de fio dental. 

Confira a seguir algumas informações sobre a origem e o tratamento para a gengivite.

Causas da gengivite

A formação da placa bacteriana nos dentes é constante, uma vez que os detritos decorrentes da mastigação de alimentos se tornam substrato ideal para o desenvolvimento da microbiota bucal. Assim, o desleixo para com a limpeza frequente dos dentes pode ocasionar facilmente a ocorrência da inflamação. Deve-se usar fio dental diariamente, assim como realizar a escovação dos dentes após todas as refeições.

Evolução da inflamação

O aumento do contingente bacteriano na região das gengivas pode levar a uma maior liberação de toxinas por esses microrganismos e, consequentemente, causar a irritação na área. É possível perceber a presença de sangramentos gengivais durante a escovação e uso de fio dental. 

Caso não controlada, essa inflamação pode evoluir para uma periodontite, estágio em que a inflamação afeta os ossos alveolares, estruturas ósseas que sustentam os dentes. Por conseguinte, o paciente tem riscos de perda dos dentes da região afetada.

Sintomas da gengivite

Num quadro de gengivite, é possível perceber alguns sinais específicos na região, tais como vermelhidão gengival, sangramento durante escovação, incômodo na mastigação, secreção de pus e até mesmo ocorrência de mau hálito e/ou gosto desagradável na boca. Pode haver também uma retração da gengiva, dando a impressão de que alguns dentes se tornaram mais longos do que antes. 

Fatores de risco

Existem alguns fatores que podem potencializar os riscos do desenvolvimento de gengivite. Além da higiene bucal inadequada podemos citar o tabagismo, a diabetes, as doenças imunodepressivas, o uso de anticoncepcionais ou de algumas medicações específicas e as deficiências nutricionais como agravantes das infecções gengivais. Pode-se citar também o uso de aparelhos ortodônticos como fatores de risco, uma vez que torna-se mais difícil a higiene bucal e, consequentemente, há maior chance da formação excessiva de placa bacteriana.

Tratamento para a gengivite

Embora seja uma doença periodontal de fácil tratamento, a gengivite pode evoluir para situações mais graves na ausência de tratamento.

Num estágio mais brando da inflamação, é possível revertê-la a partir da melhora da higiene bucal, o que inclui a escovação após todas as refeições com uma escova de qualidade, assim como o uso diário de fio dental.

Entretanto, em casos mais severos é necessária a intervenção de um dentista. Na ausência de qualquer medida profilática em relação à inflamação, forma-se o chamado tártaro.

O tártaro nada mais é do que a placa bacteriana já consolidada, endurecida, e que só pode ser retirada por meio de uma limpeza odontológica profunda. Portanto, as visitas periódicas ao dentista para a realização de limpeza são fundamentais para manter a boa saúde das gengivas.

Portanto, é fundamental que o paciente tenha não só o hábito de manter uma boa higiene bucal, mas também de realizar visitas periódicas a consultórios odontológicos, de modo a receber uma orientação profissional sobre a limpeza e necessidade de realizar qualquer procedimento.

Gostou das dicas? Baixe o nosso e-book para saber mais sobre como manter um sorriso perfeito!

 

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário