Seja por descuido com a higiene bucal ou algum problema de saúde, o tratamento para mau hálito é algo que requer avaliação profissional. Isso porque gargarejos ou balas não resolvem a situação.

A halitose, como é chamada pelos profissionais da área de saúde, também pode ser gerada pelos tipos de alimentos ingeridos e por outros hábitos de vida pouco saudáveis. O que muitas pessoas não sabem, porém, é que o cheiro expelido pela comida só é eliminado quando ela é totalmente metabolizada.

Então, mesmo que o odor do alho, por exemplo, seja amenizado com escovação, enxaguante ou chiclete, seus efeitos continuam durante todo o percurso. Também estão nessa lista itens como: cebola, café, repolho, couve, alcachofra, azeitona, carnes bovinas e bebidas alcoólicas, entre outros.

Quer saber sobre os motivos com mais detalhes? Continue a leitura!

Por que eu escovo os dentes e continuo com “bafo”?

Se você não escovar e passar o fio dental diariamente, as partículas de alimentos podem permanecer em sua boca, originando o crescimento bacteriano entre os dentes, em torno das gengivas e na língua. E isso ocasiona o mau hálito.

Os enxaguantes antibacterianos podem ajudar a reduzir as bactérias, mas é preciso que tudo dentro da boca seja muito bem higienizado: dentes, gengivas, mucosas e língua. Caso haja próteses ou aparelhos dentários, eles também merecem atenção especial, seguindo as etapas de limpeza recomendadas pelo ortodontista.

Caso o odor persista, esse pode ser um sinal de alerta para alguma doença e a necessidade de uma consulta com um especialista. Veja quais são os problemas mais comuns:

Gengivite

É causada pelo acúmulo de placa nos dentes. As bactérias causam a formação de toxinas e irritam as gengivas. Se não for tratada, essa enfermidade pode causar danos mais severos nas gengivas e na mandíbula.

Xerostomia

A “boca seca”, que é a maneira usual de se referir à reduzida salivação, pode ser a origem do mau hálito. A saliva é primordial para umedecer a boca, neutralizar os ácidos produzidos pela placa e lavar as células mortas que se acumulam na língua, nas gengivas e nas bochechas.

Se não forem removidos, esses vestígios podem se decompor e ocasionar o odor desconfortável.

Infecções

Podem ser fúngicas ou bacterianas. São produzidas pela dentição muito apertada, por cáries ou por algo dentro da boca que somente o profissional avaliará e indicará o melhor tratamento.

Outras doenças que podem estar ligadas à halitose são: infecções do trato respiratório, como a pneumonia ou a bronquite, infecções crônicas dos seios maxilares, diabetes e refluxo ácido crônico, além de problemas no fígado, estômago ou nos rins.

O que posso fazer para evitar mau hálito?

Há hábitos que ajudam na luta contra o mau cheiro na boca, mas é importante salientar que sua saúde bucal precisa estar 100%! Veja alguns:

  • escove os dentes sempre após as refeições e use o fio dental uma vez ao dia;

  • evite o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, pois elas deterioram a mucosa da boca, o que interfere na salivação;

  • abandone o tabaco, seja o cigarro ou produtos que o contenham, pois, além de amarelar os dentes e irritar a gengiva, ele produz uma inflamação crônica na mucosa;

  • consuma café com moderação, pois, principalmente em situações de estresse ou ansiedade, ele intervém na fabricação da saliva, assim como tende a escurecer o sorriso;

  • ingira alimentos que limpam os dentes, como maçã, pepino e cenoura, assim como bebidas à base de limão e gengibre, além do chá de boldo ou hortelã.

Inclua esses “detergentes naturais” em seu cardápio, para que todos da família (adultos ou crianças) estejam bem cuidados.

Agora que você já sabe tudo sobre o tratamento para mau hálito, que tal descobrir a importância de agendar uma consulta de avaliação para conferir se sua boca está nota 10? Até a próxima!