Quem teve coronavírus deve trocar a escova de dente? Entenda!

4 minutos para ler

Você já pegou ou conhece alguém que tenha pegado Covid-19? Com tantas pessoas infectadas, é provável que sim. Afinal, trata-se de uma doença de alta transmissibilidade, especialmente com o surgimento de novas cepas, como a variante delta. Por falar no assunto, você saberia responder se quem teve coronavírus precisa trocar a escova de dente?

Muita gente tem essa dúvida, por isso, resolvemos criar este conteúdo. Antes de mais nada, é importante ressaltar que os dentistas recomendam a troca da escova com regularidade, já que, com o tempo, as cerdas se desgastam e perdem seu potencial de limpeza, além de acumularem placa bacteriana.

Neste post, vamos esclarecer se é preciso trocar a escova de dente devido ao diagnóstico de Covid-19 e quais cuidados devem ser tomados para evitar a reinfecção. Veja!

Quem teve Covid-19 precisa trocar a escova de dente?

Sim, a recomendação dos especialistas é fazer a troca da escova, tanto após o diagnóstico quanto depois da recuperação. A substituição é aconselhada, por a saliva ser um meio de transmissão do coronavírus, logo, trata-se de uma maneira de se precaver de uma possível reinfecção.

Mas vale lembrar que, independentemente da infecção pelo coronavírus, os dentistas orientam trocar a escova de dente a cada três meses, em média. Isso porque com o uso suas cerdas vão perdendo as funções. Além disso, há o acúmulo de placa bacteriana, que pode levar a doenças bucais indesejadas, como cáries e gengivite.

Desinfetar a escova resolve o problema?

Sim, se a escova estiver em bom estado, ou seja, limpa e com as cerdas conservadas, você pode optar pela desinfecção em vez da troca. Para tanto, utilize água oxigenada ou enxaguante bucal. Há duas formas de fazer isso: você pode deixar o produto de molho ou borrifar nele a solução.

Quais são outros cuidados para evitar a contaminação pelo coronavírus?

Não basta trocar a escova de dente ou desinfetá-la. Se você quer se proteger do coronavírus, deve adotar outras práticas de profilaxia. Confira, a seguir, as principais!

Jamais compartilhar a escova

Essa regra vale não somente para se proteger do coronavírus, mas de outras doenças. A escova é um produto individual, logo, jamais deve ser compartilhada. Afinal de contas, ela guarda bactérias prejudiciais à saúde.

Limpar o item após a escovação

Após escovar os dentes, é fundamental lavar a escova — por questões de higiene e também para reduzir o número de bactérias. Deixe-a em água corrente, e jamais use os dedos nas cerdas para retirar o excesso. Em vez disso, bata o cabo do produto na pia.

Lavar as mãos antes de escovar os dentes

Outra prática imprescindível é lavar as mãos antes de escovar os dentes. Assim, você se protege tanto do coronavírus quanto de outras enfermidades, já que nossas mãos carregam microrganismos invisíveis a olho nu, os quais provocam doenças. Aliás, as mãos devem ser levadas antes mesmo de tocar o recipiente do creme dental e de passar o fio nos dentes.

Manter as escovas distantes

As escovas de dente devem ser guardadas em um porta-escova e, em seguida, dentro de um armário. Outra recomendação é manter as diferentes escovas utilizadas por pessoas da família distantes umas das outras. Afinal, isso evita a proliferação do vírus entre elas, caso alguém esteja infectado.

Vimos, no decorrer deste post, que a recomendação dos especialistas para quem teve Covid-19 é trocar a escova de dente durante e após a recuperação. Essa é uma maneira de prevenir não apenas uma reinfecção pelo coronavírus, mas também o contágio de pessoas que vivem no mesmo lar. Proteja sua saúde e a de quem você ama.

Gostou do que leu? Se sim, não deixe de se informar regularmente sobre temas relacionados à saúde bucal. Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário