Você tem sorriso gengival? Saiba como é possível tratá-lo!

7 minutos para ler

Quem se preocupa com a aparência dos dentes e com a própria imagem não pode deixar de frequentar o consultório odontológico com regularidade. O fato é que alguns problemas bucais são mais complexos e requerem cuidados extras. Esse é o caso de quem tem sorriso gengival. Afinal, como tratá-lo?

Embora na maior parte das situações seja um problema meramente estético — ou seja, não afeta nossas ações básicas (como falar e comer) —, o sorriso gengival pode ter relação com alguma complicação bucal. Logo, é preciso passar por consulta com um dentista para que o quadro seja avaliado e devidamente solucionado.

Neste post, você vai entender melhor o que é sorriso gengival, quais as causas, como impacta a vida das pessoas e de que forma tratá-lo. Confira!

O que é sorriso gengival?

Cada pessoa tem uma quantidade própria de gengiva, que serve para manter a boca alinhada e circundar os dentes. Geralmente, a porção à mostra mede dois milímetros ou menos. Porém, em alguns casos, há excesso de tecido exposto. Quando chega a três milímetros ou mais, dizemos que o indivíduo tem o sorriso gengival.

O exagero de tecido em exposição está relacionado ao tamanho e ao formato dos dentes, ao comprimento e ao nível de movimento do lábio superior e ao posicionamento vertical da mandíbula superior e a dentição em comparação com o crânio — todos esses aspectos podem estar combinados ou não.

Quais as causas do excesso de tecido exposto?

São diversas as causas do sorriso gengival. Entre elas, vale citar fatores genéticos, inflamações, hipertrofia, maxilar em excesso, lábios pequenos, coroas dos dentes curtas, hiperatividade dos músculos elevados e, até mesmo, distúrbios hormonais. Seja qual for a origem, a recomendação é procurar uma clínica para que o profissional possa investigá-la.

Em muitos casos, o sorriso gengival não atrapalha as nossas necessidades diárias, como falar e comer. No entanto, se a causa for uma erupção dentária ou tiver relação com o desenvolvimento do maxilar, pode haver dificuldades para mastigar. Logo, é preciso tratar o problema para não comprometer a qualidade da mastigação.

Dos motivos que originam o sorriso gengival, é importante destacar os seguintes.

Lábio superior curto

Lábios superiores muito curtos e finos não dão conta de cobrir a gengiva quando sorrimos, por isso, ela fica bastante exposta. A boa notícia é que existe uma alternativa para sanar a questão.

Hiperatividade labial superior

Em uma situação normal, apenas os dentes da arcada superior e um pouco do tecido gengival são expostos. Porém, quem sofre de hiperatividade do lábio superior tem o movimento labial mais amplo ao fechá-lo e levantá-lo. Por isso, a gengiva fica mais aparente.

Crescimento do osso da maxila

A expansão exagerada do osso maxilar está entre as principais causas do sorriso gengival. Quem deseja solucioná-lo precisa passar por avaliação e realizar exames precisos, uma vez que a situação exige intervenção cirúrgica.

Qual o impacto do sorriso gengival na vida das pessoas?

Como dissemos, o sorriso gengival, em grande parte dos casos, não prejudica a rotina e a saúde das pessoas. No entanto, ele pode ser a causa de alguns mal-estares. Veja, a seguir, quais são eles!

Compromete a autoestima

Muitas pessoas têm problemas para olhar no espelho e se aceitar por causa do sorriso gengival. Portanto, tal quadro compromete a autoestima e chega a atrapalhar as relações intrapessoal e interpessoal. Por isso, o conselho é procurar ajuda para solucionar a questão.

Afeta a harmonia do sorriso

O excesso de tecido exposto quebra a harmonia ao sorrir. Isso, inclusive, pode causar um certo estranhamento por parte de algumas pessoas que, porventura, estejam em contato com quem tem o sorriso gengival. É principalmente por esse motivo que muitos pacientes optam por tratá-lo.

Gera desconforto social

Há quem sofra bastante ao ter que se relacionar com outras pessoas por ter o sorriso gengival. Aliás, muitos indivíduos deixam de sorrir para que a gengiva não seja exposta. Logo, esse quadro pode impactar as relações pessoais e, também, as profissionais.

Quais os tipos de tratamento?

Quem deseja exibir um sorriso bonito e harmônico precisa recorrer aos métodos disponíveis. Abaixo, você verá quais são os principais tratamentos contra a exposição do tecido gengival em excesso!

Uso de aparelho ortodôntico

Em situações de erupção e desalinhamento dos dentes, o uso de aparelho ortodôntico é uma saída para amenizar e reduzir de forma determinante o sorriso gengival. Afinal, com a dentição bem posicionada, a exposição excessiva de tecido tende a diminuir.

Toxina botulínica

Mais conhecida como botox, a toxina botulínica serve para paralisar os músculos. Indicada para quem tem hiperatividade labial, tal substância relaxa a musculatura e impede que os lábios subam demais ao falar ou sorrir. Isso acontece porque a área muscular que os traciona recebe um bloqueio químico e reduz a atividade.

Trata-se de um procedimento rápido, pouco invasivo e de baixo custo, cujo efeito dura de quatro a seis meses. Porém, deve ser realizado por profissional especializado — dermatologista ou dentista que domine a técnica. A toxina botulínica também é recomendada em casos de bruxismo (ranger dos dentes) ou distúrbios na articulação temporomandibular.

Reposicionamento labial

O reposicionamento labial é uma técnica cirúrgica recomendada nos casos de hiperfunção do lábio superior. Em geral, esse problema é provocado pelo crescimento exacerbado da maxila em sentido vertical. Tal procedimento oferece bons resultados, logo, é bastante procurado por quem deseja solucionar o sorriso gengival.

Para reposicionar o lábio, é preciso realizar um corte na parte interna e superior da mucosa e uma sutura próxima aos dentes. A prática garante uma melhoria considerável do quadro por permitir o travamento labial e muscular, impedindo que os lábios subam muito ao sorrir. Desse modo, a gengiva fica menos exposta. É fundamental fazer repouso nos cinco primeiros dias após a cirurgia.

Gengivoplastia e gengivectomia

A gengivoplastia é uma intervenção cirúrgica que consiste na remoção do excesso de gengiva, de modo a gerar a harmonia do contorno gengival. Trata-se de um procedimento simples, que não requer pontos e exige apenas 24 horas de repouso seguido de mais 48 horas para a recuperação do tecido.

Por sua vez, a gengivectomia é o método empregado para a retirada tanto do tecido que margeia os dentes como de uma parte do osso excedente gerador do problema. Essa técnica cirúrgica pode requerer sutura ou não, a depender de cada caso. Por ser mais complexa, ela só é indicada em situações graves, quando a gengivoplastia não oferece bons resultados, por exemplo.

Agora sim, você sabe o que é sorriso gengival e como é possível tratá-lo. Caso esteja em busca de melhorar a aparência dos seus dentes, a recomendação é procurar por uma clínica renomada, capaz de oferecer o que há de mais avançado na área da odontologia para garantir excelentes resultados sem deixar de lado a qualidade, a agilidade e o conforto do paciente.

E então, gostou de descobrir quais são as alternativas disponíveis para tratar o sorriso gengival? Que tal aproveitar para disseminar este conteúdo aos seus contatos? Compartilhe-o, agora mesmo, em suas redes sociais!

Posts relacionados

Deixe um comentário